Jovens têm dúvidas sobre escolha da profissão

Sete milhões e setecentos mil estudantes fazem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em média anualmente. É nesse momento que esses jovens têm que decidir a carreira que vão seguir. Por isso, a Sala de Emprego dessa segunda-feira (19) dá dicas para escolher a profissão.

Muitos jovens estão se preparando para o Enem, mas ainda estão em dúvida em relação à profissão. “Muitos estão tentados a ir para essas novas áreas que temos agora, como design de games, áreas mais criativas, ter logo a sua startup, ter logo a sua empresa. Mas na hora de decidir o curso, as escolhas tradicionais, de engenharia, direito e medicina, acabam predominando”, afirma Edimilson Motta, professor e coordenador de cursinho.
Juliana Nascimento é gerente de desenvolvimento de uma das maiores agências de recrutamento do país, por onde passam 1,5 milhão de candidatos por ano. A maioria são jovens que ainda estão na faculdade ou que acabaram de se formar: “Existe a pressão da família e existe toda uma questão emocional ligada: eu quero ter a mesma profissão dos meus pais”.

O que levar em conta na escolha da profissão:
– A opinião da família deve ser levada em conta, assim como o desejo de seguir a mesma profissão dos pais.
– O jovem também deve seguir profissões que tenham a ver com atividades que ele gosta de fazer.
– É importante saber como o profissional que ele quer se tornar trabalha, quantas horas, e quanto tempo pode levar para alcançar o sucesso.
“O que o jovem não faz é entender o que tem por trás daquela profissão. Tem que perguntar para um médico quantas horas ele trabalha, como o dia dele é composto, de atividades, de rotina. Ele precisa entender o que é ser um médico, um jornalista, um arquiteto”, orienta Juliana.
Concorrência
De acordo com os números da Fuvest, que seleciona os estudante da Universidade de São Paulo, os cursos mais concorridos no último vestibular foram: medicina, com 55 candidatos por vaga; psicologia, com quase 41 candidatos por vaga, e engenharia civil, com 40 candidatos por vaga.
Os cursos que tiveram o maior número de inscritos foram: medicina, com 16.232 candidatos, engenharia, com 11.495 estudantes, e direito, com 10.233 candidatos.
Patrícia Sampaio, especialista em RH, tirou dúvidas de estudantes sobre a escolha da profissão. Veja no vídeo.

Orientação vocacional
A orientação vocacional pode ser uma saída para os estudantes que estão em dúvida. É nessa hora que o jovem pode discutir as opções do mercado de trabalho, os desafios de cada profissão e quais as habilidades que ele tem para se adaptar a uma função.

“Essa necessidade humana de acertar. A gente quer acertar. Então, como a gente tem muitos cursos, é difícil acertar. Para dar aquele chute certinho é difícil”, afirma a estudante Luísa Almeida, de 16 anos.
Com o Enem batendo à porta, Rhuan Braga, de 17 anos, pensa em medicina, em artes cênicas e psicologia: “Você vê seus colegas falando: eu tenho certeza que eu vou pra tal área. Eu tenho certeza que eu vou pra engenharia, eu tenho certeza que eu vou fazer direito, por exemplo. E você se vê: mas eu não tenho tanta certeza. E agora?”.
Muitos estudantes procuram orientação vocacional para tentar descobrir as próprias habilidades. As escolas não têm obrigação de oferecer, mas em algumas universidades essa orientação é de graça.

“Esse processo facilita muito a descoberta das aptidões, habilidades, perfil. Nas dinâmicas que acontecem isso vai direcionar os alunos e vai facilitar muito para que ele tenha uma decisão mais acertada”, explica a psicopedagoga Eveline Franca.

Atividades físicas nas férias

Todos pensam que porque é verão e estão de férias vão conseguir colocar em forma tudo aquilo que deixaram para traz durante um ano exaustivo de trabalho.

Acham que tudo se resolverá, pois os dias são lindos e o tempo está menos escasso.

É lógico que tudo isso é verdade, mas temos que tomar alguns cuidados para não passar as férias tomando analgésicos para dores musculares.

Reunimos aqui algumas dicas importantes para você aproveitar da melhor forma possível este período e chegar ao fim realmente com o corpo e a mente renovados e acima de tudo com muita saúde p/ você e sua família.

1- Lembre-se que seu corpo tem

imites e que ele pode não estar preparado para esforços além do habitual.

2 – Nesta época de verão é muito importante alimentar-se com comidas leves e ingerir muito líquido.

3 – É de suma importância prestar atenção nas roupas que devem ser bem leves.

4 – Procure exercitar-se em horários que proporcione uma temperatura mais baixa e evite a exposição por muito tempo ao sol.

5 – As atividades aquáticas nesta época são as mais agradáveis. Proporcionam além do lazer, um bom condicionamento físico e mental.

6 – A caminhada também é uma atividade que proporcionará benefícios para o seu condicionamento e você pode fazer com seus filhos, familiares e amigos.

7 – Porque não uma pedalada pela cidade, praias , campos, parques, etc? Será muito bom, tanto para a saúde como para o seu lazer.

8- É muito importante que antes e depois de sua atividade física você faça um trabalho de alongamento geral em seu corpo. Se não souber como, experimente espreguiçar-se longamente.

É isso aí , com essas dicas esperamos que você aproveite o máximo de suas férias com muita alegria e saúde.

10 atividades para fazer nas férias

Mesmo sem viajar, o período de descanso pode ser repleto de diversão

Durante o ano, as famílias encontram uma rotina cronometrada para fazer com que a rotina de todos se encaixem: trabalho, escola, esporte e atividades extracurriculares entram na dança. Com a chegada das férias escolares, muitos pais enfrentam dificuldades de conseguir gerenciar o tempo das crianças, seja por causa do trabalho ou por conta da quantidade de dias livres, em que mesmo em viagens, as crianças tendem a ficar entediadas.

A professora de psicologia da educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Tânia Fortuna, afirma que é preciso buscar uma rotina mesmo nos dias de folga. “A completa falta de horários gera desorientação e desamparo. Por isso, é importante criar uma rotina mesmo nas férias, que ensine a criança que as férias são uma oportunidade para gerenciar o tempo de outro jeito.”

Para isso, a especialista recomenda envolver a criança no planejamento das férias, seja em uma viagem, seja em casa. “Isso não significa fazê-la de criança-rei, a quem todos obedecem, mas começar a ensinar questões de planejamento e noções de responsabilidade”, afirma.

Dividindo responsabilidades

Uma sugestão para pais que trabalham é buscar formar uma associação de três ou quatro famílias, que se revezarão nos cuidados com as crianças. Assim é mais fácil que cada um consiga se organizar para ficar com as crianças ou providenciar atividades para elas.

São necessários alguns cuidados para que o esquema funcione bem: “Precisam ser crianças que já tenham afinidade”. É importante também garantir que todos os pais estejam cientes das regras das outras famílias em relação à educação das crianças.

Confira abaixo uma lista de sugestões de atividades que garantem férias inesquecíveis:

1. Cozinhe

2. Faça pipas

3. Brinque de fazer roupas

4. Prepare um desfile de moda

5. Aprenda origami

6. Brinque de jardinagem e plantação

7. Faça bolhas de sabão

8. Aprenda arte com papel

9. Crie seu próprio brinquedo

10. Prepare um telejornal

Colégio Integral usa o Agenda Kids para aproximar e facilitar a comunicação com os pais!

Agenda escolar de papel x Agenda escolar digital

É comum vermos agendas de papel cheias de comunicados, lembretes, observações dos alunos, quase não se consegue fechar a agenda com tanto de papel que fica acumulado. Os pais às vezes esquecem de olhar a agenda, ou os alunos não mostram, ou pode acontecer do aluno perder a agenda, dificultando assim, a comunicação entre a escola e responsáveis. Com isso, os alunos podem ficar de fora dos eventos da escola, ou o pai/responsável não comparecer a uma reunião, entre outras situações possíveis de acontecer.

Com as tecnologias agora é possível ter todas essas e mais algumas informações em uma multiplataforma, seja web ou mobile, basta ter acesso a internet que pais e responsáveis podem saber como foi ao dia a dia escolar dos seus filhos, conversar através de mensagens instantâneas com os professores. A escola também pode enviar comunicados, atividades, resumo diário, cardápio, entre outras funcionalidades que melhora a comunicação escolar e aproxima os pais da escola, sem contar que com uso da agenda digital existe um significante impacto positivo ao meio ambiente, afinal, aqui não existe o problema com desperdício de papel.

Outras vantagens

Além disso, a agenda escolar digital oferece outras vantagens que melhora a comunicação interna (com os colaboradores) e externa (com pais e responsáveis) com funcionalidades que tende a agilizar o dia a dia educacional de uma instituição de ensino, melhorando a gestão não só da comunicação, mas de todos os envolvidos.

Veja outras vantagens:

Interação Online

Toda a comunicação é feita com uso da internet, seja por web ou mobile, com mensagens em tempo real, envio de comunicados, resumo diário, mural de fotos, entres outros. Assim, pais e responsáveis que já utilizam celular no seu dia a dia se sentem mais próximos da vida escolar dos seus filhos e a escola consegue interagir melhor com eles.

Maior engajamento de pais e responsáveis com a escola

Com as funcionalidades que a agenda escolar digital oferece a escola possui uma comunicação direta com pais e responsáveis, dessa forma, a comunicação se torna mais fácil, seja para escola enviar um comunicado, uma atividade, trocar mensagens instantâneas ou pais e responsáveis saberem como foi o dia do filho na escola.

Matéria sobre plataformas de ensino digitais

Quando se fala em personalização do ensino, o mais comum é discutir diferentes níveis de conhecimento entre os alunos. Ou seja: estudantes de uma mesma turma aprendem de maneiras diversas e em velocidades distintas. Mas a dicotomia entre ter que ensinar todos e cada um vai além disso. Em palestra na Bett Brasil Educar 2015, a consultora do MEC e da Unesco Mary Grace Andrioli observou que plataformas adaptativas, feitas para todos, mas respeitando a forma como cada um aprende, dão conta também da lacuna existente entre alunos com diferentes níveis de acesso ao conhecimento. Leia mais